segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

A ração da noite

A ração da noite

pouco depois da hora de ponta,
intervalo de tempo reminiscente
de recolheres obrigatórios num país
que talvez tenha sido o nosso,
quando se volta por coordenadas
à medida do cansaço, gestos
recolhendo-se do abespinhamento,
essa é a hora mais cruel:

voltas por linhas de viés
sem que ensaies a retirada
amortecedora pela sombra:

experimentas fins indomáveis
és carne desamparada
enquanto o sono não desce
totalitário sobre o corpo


Catarina Costa