segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

vinte e oito alfinetes



I
vinte e oito alfinetes na minúscula almofada de costura
a tesoura

*

quanta distância, para que não me ferisse
hidra-de-lâminas, obsessiva
sombra?
o olhar, uma pedra
o silêncio no fundo da pedra
lambê-la, lembra? a língua

*

(como se os bustos das manequins em acrílico
estivessem todos em fila
no corredor do 203):
uma vitrine onde o meu corpo anoréxico
vagou durante anos, insone

*

a minha vida
a minha vida
a minha voz de emily rose
(uma rosa é uma rosa é uma rosa)
seus longos espinhos
furando
as minhas bonecas
a minúscula almofada de costura
o meu coração


Marceli Andresa Becker