terça-feira, 25 de julho de 2017

Ciclo

Ciclo

O mundo com sua taça embebida
no aroma dos mortos
com seus dizeres pequenos, sombrios
suas devastações de ofício.
A regra de cálculos ruminantes
movimentos abocanhados pelo vinho
das fantasias itinerárias.
Acordar de repente, a taça sobre a mesa
carta quase a termo, parágrafos colhidos
de olhos movediços num palco de intuições.
Aquela antiga dor, o ventre que escurece
a transparência de razões também sagradas
vermelho agônico-anacronia.


Roberta Tostes Daniel